Sobre livros

É interessante que, sendo uma das atividades culturais às quais mais me dedico, a literatura ainda esteja pouco presente neste espaço, tão menos que o cinema, por exemplo. E olha que leio mais livros do que vejo filmes. Talvez porque escreva sobre todos os livros no jornal, e sobre os filmes nem sempre, fique algum cansaço. Acaba que falei aqui mal de um livro horrível que li, e acho que bem, quase nada. Então, lá vai: acabei de ler outro dia uma obra-prima de um Nobel, o J.M Coetzee (sul-africano), À espera dos bárbaros. Trata-se de uma alegoria sobre um posto fictício de fronteira, para onde o Império envia tropas para reprimir os vizinhos bárbaros. A violência da civilização, a intolerância com o diferente, o exercício do poder de forma corrupta e irracional são apenas alguns aspectos do ótimo romance. A escrita dele, em si, é da melhor qualidade, o que faz de sua leitura algo envolvente, comovente. É da Companhia das Letras.
Beijos literários!

Clara Arreguy, terça-feira, março 28, 2006. 0 comentário(s).

______________________________________________________

Divirta-se

Não faltam motivos. Se você não tem preconceito contra filme de luta, uma dica ótima é Dragão Branco, meio paródia de O tigre e o dragão e coisas do gênero. Só que com humor. E romance. A heroína é muito legal, luta bem, se apaixona pelo príncipe e pelo bandido... Uma produção chinesa bem-humorada e bem interessante.
Beijins que amanhã tem mais!

Clara Arreguy, sexta-feira, março 24, 2006. 0 comentário(s).

______________________________________________________

Spike Lee diferente

Com o Woody Allen e o novo Spike Lee, parece que a onda é os cineastas fazerem coisas bem diferentes de si próprios. O plano perfeito, de Spike, nem lembra o diretor de Faça a coisa certa e dos demais filmes de seu início de carreira. Num thriller sobre um assalto a banco com reféns confinados num clima claustrofóbico, a história se desvia do suspense de ação policial para falar de outras tramas, culpas do passado ligadas ao nazismo e à moral de ontem e de hoje. Ninguém é bonzinho, dá pra perceber. E nem tudo é o que parece. Nada de incendiário, na linha do velho Spike Lee, mas coisa boa, como sempre.
Beijinhos!

Clara Arreguy, quarta-feira, março 22, 2006. 0 comentário(s).

______________________________________________________

Woody Allen sensacional

Não é a cara de Woody Allen, é mais a cara daqueles cineastas europeus clássicos, tipo Bergman, ídolo de Woody, mas é sensacional. Match point tem um pouco de tudo: de tragédia grega, de Shakespeare... O mais legal é que discute ética (ou falta de) como quem fala de sorte. Por trás da capa de fatalidade, está um retrato de uma sociedade hipócrita e de pessoas que se movem por entre (poucos) dilemas morais. Bom para pensar.
Beijos!

Clara Arreguy, segunda-feira, março 20, 2006. 0 comentário(s).

______________________________________________________

Gatão ou o Dia do Homem

Em artigo publicado ontem no Correio Braziliense, defendi com humor a criação de um Dia Internacional do Homem, para dirimir de vez a dúvida: afinal, há o dia delas (8 de março) e 364 deles, ou o delas e nenhum para os pobrezinhos? Falei do novo homem, carente, sensível, capaz de atividades e preocupações antes ditas femininas... Fui bem interpretada por alguns (um leitor citou sua netinha, também preocupada em distinguir um dia especial para os homens) e mal intepretada por outros. Houve um que reclamou que eu estava desprezando toda a luta feminina, as mortes e torturas das companheiras etc etc. Tudo isso veio a propósito do filme Gatão de meia idade, que adapta as tirinhas de Miguel Paiva com graça, boas interpretações e nenhum sentido machista. Em ritmo de quadrinhos, a história mostra o homem em bons apertos, às voltas com seus sentimentos, sua necessidade de colinho de mãe. Vale a pena ver. Além de tudo, entrevistei o Alexandre Borges, o próprio Gatão de Meia Idade, que foi uma graça.
Beijocas!

Clara Arreguy, sexta-feira, março 17, 2006. 0 comentário(s).

______________________________________________________

Vozes das meninas

Depois do relançamento em CD dos discos antigos de Ná Ozetti, a boa nova são mais vozes femininas: a doçura de Jussara Silveira em disco com o violão de Luiz Brasil, a Lisa Ono cantando boleros em ritmo de bossa nova e, o melhor de tudo, a dose dupla de Marisa Monte. Os discos da musa são maravilhosos. Um, Universo ao meu redor, todo de sambas, velhos e novos, lindo, lindo, cheio de Paulinho da Viola, Monarco, Jair do Cavaco etc. O outro, Infinito particular, mais no esquema pop dos Tribalistas, com canções elaboradas, arranjos de Philip Glass, João Donato, Morelenbaum e outros. Tudo cercado de Arnaldo, Brown e outros parceiros de peso, inclusive Adriana Calcanhotto, que comparece com faixas nos dois discos. Imperdíveis, galera.
Beijos!

Clara Arreguy, terça-feira, março 14, 2006. 0 comentário(s).

______________________________________________________

Dá pedal

Pessoal, é o seguinte: o Paulo de Araújo, autor da maioria das fotos do meu site e, não por acaso, meu namorado, está preparando para abril mais uma viagem em que mistura aventura e educação ambiental. Ele e os amigos Rogério, Peninha e Maninho vão de bicicleta de Recife até Fortaleza, durante cerca de 20 dias, fotografando, expondo e promovendo oficinas de reciclagem junto às comunidades do litoral. No ano passado, eles fizeram isso de Salvador até Recife, em março, e depois, em novembro, foram de Porto Alegre até o Chuí. Tudo pedalando. O nome do projeto é exatamente este: Dá Pedal. Eles aceitam apoios, patrocínios etc. Além de bom pra saúde e da ação conscientizadora, é tudo muito divertido. As fotos são lindas. Quem quiser dar uma conferida, visite o blog do Paulo, http://dapedal.blogspot.com/.
É isso. Um beijão e bom fim de semana!

Clara Arreguy, sexta-feira, março 10, 2006. 0 comentário(s).

______________________________________________________

Ao mestre Darcy

Pessoal, está reproduzida no site, no capítulo Textos, a matéria que fiz sobre o lançamento, em DVD, da série de documentários baseada em O povo brasileiro, de Darcy Ribeiro. É uma beleza (a série, não a matéria), merece ser vista. Os filmes são curtos, 20 a 25 minutos cada, e mostram as origens do brasileiro, o índio, antes e depois da chegada do branco; os portugueses, eles lá em Portugal e depois que aqui chegaram; os negros, a África, a cultura produzida pelo encontro, ora violento, ora festivo, entre esses e todos os demais povos que se mesclaram para formar - a gente. Lá tem o site onde encontrar os DVDs.
Beijão!

Clara Arreguy, quarta-feira, março 08, 2006. 0 comentário(s).

______________________________________________________

Surpresa no Oscar

Confesso que a vitória de Crash no Oscar me pegou de surpresa, porque não tinha visto (ainda não vi) e acreditava na linearidade de raciocínio do eleitorado da Academia - se era o ano de Brokeback Mountain, então só daria ele. Vou ter que ver Crash para então comentar. Quanto ao ator, assisti ontem ao Capote e, embora ache um bom filme, me incomoda esse tipo de interpretação meio imitativa (como foi a da Cate Blanchett como Katharine Hepburn em Aviador). São muitos trejeitos e pouca alma. Não me agrada. A Reese Whiterspoon não surpreende. Os EUA estão apaixonados por ela, que é mesmo uma gracinha. Legal a Rachel Weisz ganhar, o George Clooney também, ambos como coadjuvantes. Merecidos (xi, também não vi Syriana, mas torço pro Plantão médico. Lindo e politicamente correto.
Vocês sabem como se chama Brokeback Mountain aqui no Planalto Central? Chapada dos Veadeiros!
Beijocas!

Clara Arreguy, segunda-feira, março 06, 2006. 0 comentário(s).

______________________________________________________

Novidades no site

Pessoal, nosso site tá bombando (só pra ficar no clichê). Estamos com quase 700 acessos, em um mês e meio, tem gente que acessa direto aqui no blog, a resposta é muito legal. Pra quem vem direto aqui, aviso que estamos cheios de novidades. No clipping, matérias de outros jornais que ainda não tínhamos posto no ar. Nas fotos, trabalhos do nosso amigo Ivaldo Cavalcanti, aqui de Brasília. Nos textos, matérias publicadas no EM e no CB, em diferentes épocas, sobre futebol, livros, escritores, entrevistas, artigos. É curioso ver umas coisas antigas, como crônicas que ficaram meio antológicas (a família de revisores, os mendigos da avenida do Contorno...). Enfim, vale a pena uma visitinha. Só não mudam a biografia, que continua a mesma, e a seção de livros, que, por enquanto parou nos últimos (embora estejamos engatando um daqueles contos da seção de textos inéditos numa coletânea de brasilienses). Pois é, será que a mineirinha virou candanga?
Beijocas!

Clara Arreguy, sexta-feira, março 03, 2006. 0 comentário(s).

______________________________________________________

arquivos:
fev/06 . mar/06 . abr/06 . mai/06 . jun/06 . jul/06 . ago/06 . set/06 . out/06 . nov/06 . dez/06 . jan/07 . fev/07 . mar/07 . abr/07 . mai/07 . jun/07 . jul/07 . ago/07 . set/07 . out/07 . nov/07 . dez/07 . jan/08 . fev/08 . mar/08 . abr/08 . mai/08 . jun/08 . jul/08 . ago/08 . set/08 . out/08 . nov/08 . dez/08 . jan/09 . fev/09 . mar/09 . abr/09 . mai/09 . jun/09 . jul/09 . ago/09 . set/09 . out/09 . nov/09 . dez/09 . jan/10 . fev/10 . mar/10 . abr/10 . mai/10 . jun/10 . jul/10 . ago/10 . set/10 . out/10 . nov/10 . dez/10 . jan/11 . fev/11 . mar/11 . abr/11 . mai/11 . ago/11 . set/11 . out/11 . nov/11 . dez/11 . jan/12 . fev/12 . mar/12 . abr/12 . mai/12 . jun/12 . jul/12 . ago/12 . set/12 . out/12 . nov/12 . dez/12 . jan/13 . fev/13 . mar/13 . abr/13 . mai/13 . jun/13 . jul/13 . ago/13 . set/13 . out/13 . nov/13 . dez/13 . jan/14 . fev/14 . mar/14 . abr/14 . mai/14 . jun/14 . jul/14 . ago/14 . set/14 . out/14 . dez/14 . jan/15 . fev/15 . mar/15 . abr/15 . mai/15 . jun/15 . jul/15 . ago/15 . set/15 . out/15 . nov/15 . dez/15 . jan/16 . fev/16 . mar/16 . abr/16 . jun/16 . jul/16 . out/16 . nov/16 . dez/16 . jan/17 . mar/17