Mais contos - originais

Outro livro de contos que acabo de ler é A Árvore das Encomendas (LGE Editora), de Edna Rezende, minha companheira na Casa de Autores. Mineira de Inhapim, Edna reúne 15 contos que têm preferencialmente protagonistas femininas. Mulheres ora fortes, ora vítimas das circunstâncias do tempo e da cultura, elas resistem às situações mais trágicas.

O tom dramático prepondera nas histórias, embora a narrativa de Edna seja recheada por um senso de humor irônico, pontuado por referências de quem lê muito e bebe em fontes variadas - no sentido de cultura geral, não de estilo, que Edna possui o próprio, genuíno, original.

Com densidade de emoções e domínio narrativo, Edna Rezende parece ter um manancial de histórias a contar. Daí a sensação de que algumas delas mereciam maiores desdobramentos, quem sabe um romance a entrelaçar e entrecruzar os universos presentes nos contos do livro. Um universo feminino, familiar, mineiro, brasileiro, mas por isso mesmo universal em suas verdades mais profundas.

Beijocas!

Clara Arreguy, sábado, março 22, 2014. 0 comentário(s).

______________________________________________________

Contos inspirados em Chico

Estou devendo o comentário de vários livros que li recentemente e não tive tempo de postar. O primeiro é uma coletânea de contos que homenageia a obra de Chico Buarque. Autores brasileiros e estrangeiros são convocados a criar a partir de canções do poeta maior da MPB e daí tiram inspiração, releitura, recriação, ao sabor da criatividade de cada um.

"Essa história está diferente - Dez contos para canções de Chico Buarque" (Companhia das Letras) tem organização de Ronaldo Bressane e vai dos gaúchos Luis Fernando Verissimo (Feijoada Completa) e João Gilberto Noll (As Vitrines) ao mineiro André Sant'Anna (Brejo da Cruz), ao paulista Cadão Volpato (Carioca) e ao cearense Xico Sá (Folhetim). Do moçambicano Mia Couto (Olhos nos Olhos) aos argentinos Alan Pauls (Ela faz cinema) e Rodrigo Fresán (Outros Sonhos), à brasileira-chilena Carola Saavedra (Mil Perdões) e ao mexicano Mario Bellatin (Construção).

Esse tipo de produção feita sob encomenda sempre esbarra no risco de alguma coisa forçada. Não é o caso da maioria dos contos aqui presentes, que levam assinaturas de peso, de grandes nomes do continente. Claro que há destaques: os dilemas da mulher que quer deixar o marido gente boa, no conto de Verissimo, e do homem que espera a moça na saída da escola, no de Pauls; a dupla narrativa de Carola, única mulher presente no livro; as dores da separação na história escrita por Mia Couto; a viagem estruturada sobre a estrutura de Construção, no conto de Bellatin.

Trata-se  de leitura densa, nem sempre fácil, mas de rigor e qualidade. Amantes da obra de Chico devem ler os contos ao som da música e viajar na inspiração dos autores.

Beijos!


Clara Arreguy, sexta-feira, março 21, 2014. 0 comentário(s).

______________________________________________________

Sub 007



O carnaval passou, o Oscar passou, e ainda fiquei devendo comentário sobre o filme Operação Sombra: Jack Ryan, que seria a primeira aventura do agente da CIA criado por Tom Clancy e protagonista de aventuras em Caçada ao Outubro Vermelho e Jogos Patrióticos.

Aqui interpretado por Chris Pine (o jovem Kirk da versão mais recente de Jornada nas Estrelas), o personagem que já foi de Harrison Ford e Alec Baldwin está em início de carreira, seduzido pelo patriotismo pós-11 de Setembro e pela liderança do "mestre" Kevin Costner.

Ele acaba entrando para a CIA e emprestando a ela não apenas seu amor à pátria como sua inteligência brilhante. Acaba envolvido num caso complicado em que a Rússia ameaça reeditar a Guerra Fria por meio de um ataque terrorista aos Estados Unidos. Acaba também envolvendo sua mulher (Keira Knightley) e enfrentando o próprio diretor do filme, Kenneth Branagh.

Apesar dos recentes enfrentamentos entre Ocidente e russos, com a invasão da Crimeia e a Ucrânia no centro de um possível conflito, a trama do filme soa fora de época e de propósito. Tudo parece artificial e forçado. As cenas de ação não compensam a falta de sentido. Vale somente pra fãs apaixonados. E eu não sou tanto...

Beijus!

Clara Arreguy, quinta-feira, março 06, 2014. 0 comentário(s).

______________________________________________________

arquivos:
fev/06 . mar/06 . abr/06 . mai/06 . jun/06 . jul/06 . ago/06 . set/06 . out/06 . nov/06 . dez/06 . jan/07 . fev/07 . mar/07 . abr/07 . mai/07 . jun/07 . jul/07 . ago/07 . set/07 . out/07 . nov/07 . dez/07 . jan/08 . fev/08 . mar/08 . abr/08 . mai/08 . jun/08 . jul/08 . ago/08 . set/08 . out/08 . nov/08 . dez/08 . jan/09 . fev/09 . mar/09 . abr/09 . mai/09 . jun/09 . jul/09 . ago/09 . set/09 . out/09 . nov/09 . dez/09 . jan/10 . fev/10 . mar/10 . abr/10 . mai/10 . jun/10 . jul/10 . ago/10 . set/10 . out/10 . nov/10 . dez/10 . jan/11 . fev/11 . mar/11 . abr/11 . mai/11 . ago/11 . set/11 . out/11 . nov/11 . dez/11 . jan/12 . fev/12 . mar/12 . abr/12 . mai/12 . jun/12 . jul/12 . ago/12 . set/12 . out/12 . nov/12 . dez/12 . jan/13 . fev/13 . mar/13 . abr/13 . mai/13 . jun/13 . jul/13 . ago/13 . set/13 . out/13 . nov/13 . dez/13 . jan/14 . fev/14 . mar/14 . abr/14 . mai/14 . jun/14 . jul/14 . ago/14 . set/14 . out/14 . dez/14 . jan/15 . fev/15 . mar/15 . abr/15 . mai/15 . jun/15 . jul/15 . ago/15 . set/15 . out/15 . nov/15 . dez/15 . jan/16 . fev/16 . mar/16 . abr/16 . jun/16 . jul/16 . out/16 . nov/16 . dez/16 . jan/17 . mar/17