2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






Infância de Hitler

Acabo de ler o último romance de Norman Mailer. O grande escritor norte-americano morreu em novembro de 2007, depois de escrever O castelo da floresta, uma ficção em torno da infância de Adolf Hitler. Baseado em fatos conhecidos sobre a família do líder nazista, Mailer constrói uma biografia rica em intimidade familiar e pessoal, procurando na raiz as origens do mal incorporado por Hitler. O mais curioso é o narrador da história, um demônio incumbido de acompanhar a vida do menino e de sua família, responsável por reflexões filosóficas e teológicas interessantíssimas. Literatura maiúscula. Livro de mais de 400 páginas, que se devoram com a voracidade que os grandes nos merecem.

Beijos!

Clara Arreguy, sábado, janeiro 19, 2008.

______________________________________________________