2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






Ironia à paulista

A capa do livro traz uma foto do James Dean e o título: Marlon Brando - Vida e obra por e, sublinhado, como se completado de última hora, o nome Gustavo Piqueira. Parece piada, e a intenção era mesmo esta: brincar com ícones da cultura pop. O romance, breve e marcado pela ironia, narra os feitos de um certo Marlon Brando, nascido em Alvinópolis, no interior paulista, designer que penou, em meio à mediocridade (inclusive a própria) para vencer na vida. Alter ego do autor, o protagonista ganhou o nome do astro do cinema por causa de uma paixão da mãe. Estudou design, andou com gente cult, ganhou e perdeu namoradas, envolveu-se em aventuras mais ou menos interessantes e enfim tornou-se alguém. A narrativa auto-irônica e pontuada por piadas em torno do mundo editorial, cultural e acadêmico entretém sem profundidade nem pretensão, mas revela uma escrita segura, de quem sabe o que quer e vai ao ponto.

Beijins!

Clara Arreguy, domingo, outubro 19, 2008.

______________________________________________________