2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






Literatura e cinema

Poucas vezes uma adaptação cinematográfica acerta tanto quanto Ensaio sobre a cegueira, em que Fernando Meirelles relê José Saramago. Quanto ritmo, quanta fidelidade ao espírito do livro do autor português, quantas interpretações sensacionais, a começar pela prodigiosa Julianne Moore. Colado no melhor romance de Saramago, o filme produz efeitos visuais e sonoros incríveis - inclusive graças à trilha do Uakti, perfeita em "comentários musicais" para os climas. Não há por que parte da crítica deitar-se em detonações. O diretor brasileiro se consagra como um dos grandes cineastas em ação, para orgulho de todos, pela felicidade na escolha de um tema espinhoso e pela condução a um resultado magistral.

Beijocas!

Clara Arreguy, domingo, outubro 05, 2008.

______________________________________________________