2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






Um detetive maluco

Um detetive sentimental é o novo romance policial do autor gaúcho Tabajara Ruas. Protagonizado por seu personagem Cid Espigão, trata-se de uma viagem maluca sem fim. Em quase 450 páginas, Cid Espigão é contratado por um jovem ricaço mexicano após serem os dois seqüestrados e levados para os subterrâneos de Porto Alegre, onde quase são comidos por hordas de ratos, depois jacarés assassinos, depois quase tragados pelos esgotos, depois apedrejados num lixão e vai por aí afora, em seqüências de perder o fôlego. Numa trama que envolve caçadores de nazistas, cientistas loucos, heróis de guerra, uma seita demoníaca, um hippie hipnotizado, um chinês gigante e outras figuras inusitadas, Espigão enfrenta todo tipo de bicho de peçonha, todo tipo de ameaça, deste e do outro mundo, vai ao Pantanal, a Los Angeles, a Acapulco e volta a Porto Alegre. Cineasta que é, Tabajara Ruas explora referências como os filmes noir, com direito a louras gélidas com pistolinhas douradas, bebe em autores como Raymond Chandler e até em Blade runner. Mas o melhor de tudo, nas páginas de aventuras, é o personagem do Tio Chinão, um gaúcho tradicional, típico bagual de fala e comportamento que mais lembram o analista de Bagé. Inteligente, divertido, maluco, envolvente, O detetive sentimental é diversão da primeira à última linha.

Beijos e feliz Natal!

Clara Arreguy, quinta-feira, dezembro 25, 2008.

______________________________________________________