2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






Mudou a minha vida

A leitura do volume de bolso O livro vermelho, de Paul Auster (Cia. de Bolso), emprestado pelo Tiago Faria, mudou a minha vida. As histórias curtas que o escritor norte-americano reúne ali têm em comum ligações do acaso, coincidências, fatos unidos por elos que as tornam surpreendentes e mágicas, apesar de simples. Casos verídicos, toques da presença de algo acima, além ou nem aí para as forças do universo.
Tenho escrito, mas ler as histórias de Auster me inspirou a escrever outras coisas, de outra forma. Acho que sua observação das pequenas e grandes situações da vida pode acender luzes no olhar de qualquer um. Aproveitem, façam o mesmo: leiam Paul Auster.

Beijus!

Clara Arreguy, quarta-feira, julho 29, 2009.

______________________________________________________