2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






Dá pra rir

Foto: Divulgação

Os normais 2 - A noite mais maluca de todas repete o esquema do primeiro filme (diretor, José Alvarenga; roteiristas, Fernanda Young e Alexandre Machado; protagonistas, Fernanda Torres e Luiz Fernando Guimarães) e uma estrutura mais similar aos episódios da série televisiva do que ao primeiro filme, que saía um pouco daquela linha. Desta vez, menos que a história, interessam os números de humor. Texto bom e deslavadamente incorreto (politicamente), o que é ótimo. A piada em si é boa: Vani e Rui, o estilo de vida e raciocínio de ambos, a ambiência classe média meio cult. Em meio a tantas comédias sem graça, o despudor dos normais acaba sendo um refresco de risadas descomprometidas. E o restante do elenco (Cláudia Raia, Drica Moraes, Daniel Dantas, Danielle Winits, Daniele Suzuki e outros) não deixa nada a desejar, coadunando com os protagonistas no patamar hilário.

Beijocas!

Clara Arreguy, quarta-feira, outubro 07, 2009.

______________________________________________________