2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






Heroísmo animal


Imperdível para amantes de cavalos e de aventuras Cavalo de guerra, de Steven Spielberg, ainda em cartaz em Brasília, mesmo depois da estreia do novo filme do diretor, As aventuras de Tintim. 

Tem um quê de Corcel negro, mas a marca do premiado cineasta faz toda a diferença na história do cavalo que passa por mil problemas e desafios, durante a I Guerra Mundial. O dono dele, um rapazinho que intui a melhor maneira de conquistá-lo, sabe tudo de doma racional, diálogo, carinho e métodos correlatos. Com respeito e cuidado, ensina-o a arar o solo, a trabalhar na fazendinha e a cavalgar, numa Inglaterra empobrecida no entre-guerras.

Aí começa o primeiro conflito global e o cavalo é confiscado, passa de mão em mão, sofre todo tipo de agruras, aprende a fazer muitas outras coisas, conhece também pessoas que o amam e respeitam, para no final dramático reencontrar o dono e amigo.

Há cenas antológicas, mas a especial é a bandeira branca levantada por um inglês e um alemão para salvar o cavalo preso entre as trincheiras.

O filme é lindo, não duvidem. Meio juvenil, mas lindo.

Beijocas!

Clara Arreguy, terça-feira, janeiro 24, 2012.

______________________________________________________

Comments:
Não tenho nada contra filmes "juvenis". Este parece ser repleto de "mensagens", sem falar no cenário histórico. Seu relato nos motiva a ver o filme. Ótimo!
Maria do Carmo
 
Postar um comentário