2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






Atualizando

O bom de não estar na mídia diretamente é poder ler e comentar livros antigos, que não estão na pauta, apenas na estante. Caso daquele de contos da mitologia, que li recentemente, e agora de "Bangalô" (Editora 34, 128 páginas), de Marcelo Mirisola, um autor brasileiro premiado que eu nunca havia lido.

O romance foi indicado para o Prêmio Portugal Telecom de 2004, é uma narrativa curta, curta e grossa, de um narrador em primeira pessoa que passa uma temporada de assombros e desassombros no bairro da Lagoa, em Florianópolis.

Perto do fundo do poço, de mal com a vida e o mundo, em guerra com passado, presente e futuro, ele se digladia com barquinhos, pores de sol, senhorio gay, mulheres. Em linguagem rascante, o escritor mergulha fundo no personagem e na ambiência, levando junto um leitor atordoado em envolvido por sua escrita crua e precisa como o corte de um bisturi.



Clara Arreguy, quarta-feira, novembro 14, 2012.

______________________________________________________

Comments:
Fui premiado não, Clara. Apenas uma indicação. Mas mereciané?.Um beijo,MM
 
Olá, Marcelo. Uma indicação dessas vale como prêmio. Dá selo na capa do livro, ajuda a divulgar, o que é sempre difícil... Beijão!
 
Postar um comentário