2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






Mitos da humanidade

Hoje é meu último dia na Ascom/MDS e, por coincidência, o momento de escrever minha última coluna para a intranet. Não resisto a juntar os dois assuntos e aproveitar pra me despedir de todos os amigos que fiz aqui, de todos os profissionais que aprendi a admirar, numa relação de respeito mútuo. 

Para este último comentário, remeto-me ao livro que acabo de ler, uma coletânea com a grife de Flávio Moreira da Costa, mestre neste tipo de produção literária. Trata-se de “13 dos melhores contos da mitologia da literatura universal” (Ediouro, 208 páginas), que reúne, como o título diz, uma seleção especial de histórias. 

O interessante é que há todo tipo de mitologia na coletânea: da greco-romana – mais popular, com deuses e semideuses ligados a características tão humanas, Júpiter, Vênus, Mercúrio, etc. etc. – à africana, com a criação do mundo segundo a cultura ioruba, à indiana e à maia, da região onde hoje ficam México e Guatemala.

Entre os autores, há nomes de peso, que vão de Alberto Morávia a Franz Kafka, de Machado de Assis e Eça de Queirós a Mark Twain. E aqui está o melhor dos 13 contos selecionados por Flávio Moreira da Costa: Mark Twain reinventa o mito bíblico de criação do mundo, com os diários de Adão e Eva. Em narrativa brilhante em humor e leitura da humanidade, o escritor norte-americano fala das diferenças entre homens e mulheres desde o toque divino que pôs no mundo seres tão diferentes.

Aqui me despeço com alegria e saudade. Vocês podem me reencontrar no site (www.clara-arreguy.com), no blog (http://clara-arreguy.blogspot.com.br/) ou pelo e-mail (clarreguy@yahoo.com) .

Beijos!

Publicada no dia 1º/11/12 na intranet do MDS

Clara Arreguy, quinta-feira, novembro 08, 2012.

______________________________________________________