Paulo Coelho para além do best-seller


O filme "Não pare na pista - A melhor história de Paulo Coelho", de Daniel Augusto, não se dirige apenas aos fãs do escritor best-seller. Ao contar a juventude do escritor, desde quando tentou o suicídio pela primeira vez, com as internações em clínicas psiquiátricas que lhe aplicavam choques elétricos, visita também uma parte importante da história do Brasil e da cultura no Brasil.

O filme se estrutura em três narrativas paralelas: esse primeiro momento da juventude, em que tentava se afirmar como escritor, em conflito com os pais; a primeira peregrinação pelo Caminho de Compostela, em busca de respostas para seus anseios existenciais; e a velhice, quando refaz o Caminho após um problema grave de saúde. Assim, não trata do sucesso no mercado editorial, que o torna um milionário, mas do que antecedeu tudo isso.

O ponto alto do filme é a parceria entre Paulo Coelho e Raul Seixas, um momento iluminado na contracultura nacional, momentos de resistência à ditadura, ainda que isso não se fizesse de maneira político-partidária, mas sim pela via do comportamento, da negação do status quo com todas as doses de marginalidade que isso implicava. Juntos, eles criaram obras-primas do rock brasileiro, que inspiraram gerações - a primeira, a minha.

"Não pare na pista" tem ótimas interpretações, principalmente de Júlio Andrade (Paulo Coelho adulto, foto) e seu irmão Ravel (Paulo Coelho jovem), de Enrique Diaz e Fabiula Nascimento, que fazem os pais do escritor. Nem acho a maquiagem do personagem velho tão tosca quanto tenho lido em outras críticas.

Não gosto da literatura de Paulo Coelho, mas o considero um personagem interessante e importante da nossa vida cultural. O filme de Daniel Augusto, com roteiro de Carolina Kotscho, faz justiça a isso.

Beijocas!

Clara Arreguy, sábado, agosto 23, 2014.

______________________________________________________

Comments:
Interessante isso que você escreveu sobre o filme e sobre o Paulo Coelho. Eu nunca teria lido nada sobre ele, não fosse o seu blog. Muito boa a sua colocação sobre a importância dele na vida cultural do Brasil - realmente, não se pode negar. Além disso, ele faz um sucesso estrondoso no exterior, levando consigo o nome do Brasil. Em todas as livrarias por onde já passei aqui no Canadá, vi livros dele no "front". E é muito apreciado, de um modo geral.
Abraços.
 
Postar um comentário

arquivos:
fev/06 . mar/06 . abr/06 . mai/06 . jun/06 . jul/06 . ago/06 . set/06 . out/06 . nov/06 . dez/06 . jan/07 . fev/07 . mar/07 . abr/07 . mai/07 . jun/07 . jul/07 . ago/07 . set/07 . out/07 . nov/07 . dez/07 . jan/08 . fev/08 . mar/08 . abr/08 . mai/08 . jun/08 . jul/08 . ago/08 . set/08 . out/08 . nov/08 . dez/08 . jan/09 . fev/09 . mar/09 . abr/09 . mai/09 . jun/09 . jul/09 . ago/09 . set/09 . out/09 . nov/09 . dez/09 . jan/10 . fev/10 . mar/10 . abr/10 . mai/10 . jun/10 . jul/10 . ago/10 . set/10 . out/10 . nov/10 . dez/10 . jan/11 . fev/11 . mar/11 . abr/11 . mai/11 . ago/11 . set/11 . out/11 . nov/11 . dez/11 . jan/12 . fev/12 . mar/12 . abr/12 . mai/12 . jun/12 . jul/12 . ago/12 . set/12 . out/12 . nov/12 . dez/12 . jan/13 . fev/13 . mar/13 . abr/13 . mai/13 . jun/13 . jul/13 . ago/13 . set/13 . out/13 . nov/13 . dez/13 . jan/14 . fev/14 . mar/14 . abr/14 . mai/14 . jun/14 . jul/14 . ago/14 . set/14 . out/14 . dez/14 . jan/15 . fev/15 . mar/15 . abr/15 . mai/15 . jun/15 . jul/15 . ago/15 . set/15 . out/15 . nov/15 . dez/15 . jan/16 . fev/16 . mar/16 . abr/16 . jun/16 . jul/16 . out/16 . nov/16 . dez/16 . jan/17 . mar/17