2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






A França contemporânea em drama



O outro filme muito atual sobre a realidade francesa é "Samba", de Olivier Nakache e Éric Toledano, com Omar Sy e Charlotte Gainsbourg (foto). O ator ficou famosíssimo após "Intocáveis", que se tornou sucesso mundial.

Aqui, trata-se de um drama sobre os imigrantes ilegais na França. Samba é o nome de um senegalês que vive quieto em seu canto, trabalhando em cozinhas insalubres, até que uma série de situações o levam a ter que deixar o país. Numa ONG que promove apoio a esse tipo de imigrantes, em geral de países pobres ou em conflitos, Samba conhece Alice, uma mulher que está ali pra tentar se curar de um surto de estresse que a afastou do trabalho.

Solitária e carente, Alice se envolve com Samba mais do que recomenda a etiqueta do trabalho voluntário. Ele se mete em confusão para ajudar um amigo em situação semelhante e acaba arrumando ainda mais problemas. Entre desencontros e difíceis encontros, eles tentarão construir uma saída possível para uma realidade cada vez mais restritiva.

"Samba" e "Que mal eu fiz a Deus" mostram faces de uma realidade europeia modificada pela reversão da onda colonialista que, ao longo de séculos, gerou um mundo dividido entre riquíssimos e paupérrimos, os países dos bem resolvidos e um enorme planeta sem solução.

Beijos!

Clara Arreguy, segunda-feira, agosto 17, 2015.

______________________________________________________