2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






A deliciosa prosa de Rosa


Sempre que me perguntam qual o melhor filme que já vi na vida, respondo: "A Hora e a Vez de Augusto Matraga", de Roberto Santos (1965), um clássico pós-Cinema Novo. Pois não é que refilmaram a obra, baseada em Guimarães Rosa, e o resultado faz jus à primeira versão?

Sim, o novo filme, de 2011, dirigido por Vinicius Coimbra, consegue manter o alto padrão de respeito ao texto - uma das obras-primas de um escritor superlativo da literatura universal, com trabalhos de ator e câmera excelentes, ritmo, adaptação narrativa, fotografia, tudo.

João Miguel (foto) dá vida ao personagem emblemático Augusto Esteves, que desce ao inferno e volta à vida conduzido por um milagre da bondade possível. Dois atores já mortos - José Wilker e Chico Anysio - fazem suas últimas aparições. Além deles, Irandhir Santos e Vanessa Gerbelli aparecem bem, ao lado de um elenco de atores da cena mineira que não deixam nada a desejar.

Com ambientação nos sertões rosianos mitificados por Guimarães Rosa, "A Hora e a Vez de Augusto Matraga" tem tudo para apresentar, aos que não conhecem, a prosa poética de um texto clássico delicioso, um deleite para olhos e ouvidos.

Beijus!

Clara Arreguy, segunda-feira, outubro 05, 2015.

______________________________________________________