2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






O original é sempre melhor


Fui assistir a "Olhos da Justiça", de Billy Ray, pensando se tratar de mais um bom policial, mas já nas primeiras cenas entendi que era a refilmagem de "O Segredo de Teus Olhos", de Juan José Campanella, ganhador do Oscar de melhor filme em língua estrangeira em 2009.

Claro que o original é melhor. Por mais que o filme americano se esforce por manter todos os principais elementos do premiado roteiro argentino, ninguém chega aos pés de Ricardo Darín, o protagonista, apesar do esforço de Chiwetel Ejiofor (foto). Ouso dizer que nem Nicole Kidman se aproxima do charme e do mistério de Soledad Villamil. Já a personagem de Julia Roberts, que dá algum peso dramático ao thriller, nem sequer existe na película argentina. Então...

A trama é praticamente a mesma: um assassinato bárbaro fica impune porque a polícia tem interesse em manter livre o principal suspeito. No filme argentino, a ditadura e os grupos paramilitares que atuaram no país davam o pano de fundo. Na produção dos EUA, o caso se transporta para 2001, época dos ataques às Torres Gêmeas, com a paranoia em torno de muçulmanos e mesquitas.

Paralelamente ao caso policial em si, os dois protagonistas, um agente e sua colega, vivem uma história de amor abafada por vários e fortes motivos, e isso reaparece, anos depois, quando o agente descobre a verdade dos fatos. No filme argentino, um Darín com o coração despedaçado matava de paixão metade da plateia. No filme americano, o sucesso do romance entre um negro e uma lourinha está descartado de antemão. Pior pro filme.

Bjs!

Clara Arreguy, sexta-feira, dezembro 18, 2015.

______________________________________________________