2018: jan . fev . abr . mai

2017: jan . mar . abr . jun . ago . set . nov . dez

2016: jan . fev . mar . abr . jun . jul . out . nov . dez

2015: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2014: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . dez

2013: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2012: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2011: jan . fev . mar . abr . mai . ago . set . out . nov . dez

2010: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2009: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2008: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2007: jan . fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez

2006: fev . mar . abr . mai . jun . jul . ago . set . out . nov . dez






Retomando: brasileiro premiado, épico inglês

Desta vez demorei demais a atualizar o blog, mas é que andei mesmo muito apertada. De serviço, com minha produção própria e da nossa empresinha, a Outubro Edições, que nesse meio tempo lançou mais três livros: o romance "Móvel é o passado", de Joaquim São Pedro, a reportagem "O povo da Lua", de Renato Alves, e os contos de "Canção silenciosa", de Ananias Zeca de Freitas.

Vamos lá, então, ao resumo das leituras mais recentes:

- Sérgio Y. vai à América, de Alexandre Vidal Porto (Companhia das Letras), venceu prêmio literário no Paraná e tem como protagonista um psiquiatra intrigado com o estranho caso de um paciente seu que se mudou para os Estados Unidos, onde foi assassinado. ao investigar a história, descobre que Sérgio se transformara em Sandra.
Apesar da escrita fluente e do tema interessante, o romance peca pela superficialidade na abordagem das questões, uma vez que o tal médico não percebe em momento nenhum a questão de gênero em seu paciente e não dá conta de explicar isso ao leitor. Conduz certo suspense, mas não desenvolve satisfatoriamente situações como a morte de Sérgio/Sandra ou a relação do psiquiatra com a família do paciente.


- Os pilares da Terra, de Ken Follett (Rocco), um alentado romanção histórico que me vinha sendo indicado por um monte de gente, mas que só agora tive tempo de ler. São dois volumes da mesma história (não dá pra ler um só, porque não termina no final do primeiro tomo), total de 1.100 páginas, corpo pequeno, entrelinha curta, mas a gente mergulha de tal maneira que fica impossível parar.
O enredo acompanha a construção de uma catedral gótica no século XII, na Inglaterra, com personagens interessantíssimos, como o construtor Tom e seus filhos, o enteado Jack, que herda os conhecimentos do padrasto e prossegue a epopeia arquitetônica depois da morte de Tom, o pastor Philip, um homem estranhamente ético num meio corrupto, e sobretudo Aliena, a heroína que constrói a própria história após ser vítima de todo tipo de violência e injustiça. O livro alterna amor, arte, aventura, guerra, história, moral, vilões repugnantes, heróis edificantes, num ritmo sensacional. Não tenha preguiça, vale cada página.

Beijos!

Clara Arreguy, quarta-feira, junho 01, 2016.

______________________________________________________